Quarta-feira, 21.03.12

No taxation without representation

Na ficcional República de San Lorenzo, o culto da religião "Bokonismo" é punida com pena de prisão. E, no entanto, todos os seus habitantes são praticantes do bokonismo, inclusivelmente o seu ditador.
Conforme parodiado por Vonnegut a criminalização de determinado comportamento é por si só insuficiente para que a sua pratica deixa de existir. Fiscalização e assimilação das normas por parte da sociedade são factores bem mais preponderantes: Teoria das Janelas Partidas.
As formas de evitar a evasão fiscal passam, assim, por um uso criterioso e produtivo dos fundos públicos e, sobretudo, por um cumprimento pontual do contrato social, o que não tem sucedido, por exemplo quando o nosso "de facto" 1º Ministro afirma que o subsídio de desemprego será apenas para quem precisa.
Um Estado que não actua de modo sério produz um manto de cinismo sobre os cidadãos: perante o não cumprimento do Estado é mais do que natural que o vínculo se rompa e, em sentido contrário, o seu cumprimento fortaleça esse vínculo. 
publicado por CRG às 17:40 | link do post | comentar
Terça-feira, 10.01.12

Acima de tudo coerência

 

1 - O economista Eduardo Catroga sustenta que face ao actual momento de crise financeira Portugal perdeu uma "oportunidade histórica" de reduzir salários nos sectores público e privado, defendendo um corte médio de 10% nos vencimentos.

"O que eu diria é que haveria uma redução salarial e pagava o 13º e 14º mês em obrigações do Tesouro (...) Mas não aumentava os impostos", disse Eduardo Catroga, durante uma tertúlia no Casino da Figueira da Foz.

 

 

 

2- Eduardo Catroga terá uma remuneração anual de quase 639 mil euros caso seja eleito presidente do Conselho Geral e de Supervisão eléctrica portuguesa na assembleia geral de 20 de Fevereiro. O Correio da Manhã cita o relatório sobre o governo da sociedade, com os valores ganhos pelo seu antecessor, António de Almeida. O ordenado será de 45 mil euros por mês, que acumulará com uma pensão de mais de 9600 euros.


 

Questionado pelo jornal, Catroga desvaloriza: “50% do que eu ganho vai para impostos. Quanto mais ganhar, maior é a receita do Estado com o pagamento dos meus impostos, e isso tem um efeito redistributivo para as políticas sociais”.


 

Sobre a pensão da Caixa Geral de Aposentações, Catroga frisou que descontou “40 anos para o sector privado e 20 para o sector público”.

 

 

tags:
publicado por CRG às 14:57 | link do post | comentar
Sexta-feira, 02.12.11

Do pib

 

Uma das gaffes mais conhecidas da política portuguesa é a do então candidato Guterres a tentar calcular o PIB, terminando com a famosa frase "é fazer a conta". Se o valor do PIB decorre de simples aritmética, a sua importância e o seu verdadeiro significado não é assim tão linear ou, pelo menos, não o devia ser.

 

A verdade assente e acrítica de que existe uma correlação entre a subida do PIB e a qualidade de vida de um país - se o PIB sobe é porque o país está a caminhar na direcção certa - não era sequer defendida por Kuznets, prémio Nobel da Economia, que liderava a equipa de economistas que criou o cálculo do PIB, que avisou que “O bem-estar de uma nação não pode, desta forma, ser aferido através do cálculo do seu PIB".

 

Não se trata de monesprezar o PIB mas retirar a sua excessiva importância. Relativizar o PIB, um indicador entre outros igualmente importantes como a qualidade de vida, a saúde, a igualdade, o bem-estar... 

 

Porque o problema é que: "A country, for example, that overemphasizes G.D.P. growth and market performance is likely to focus policies on the big drivers of those — corporations and financial institutions — even when, as during the recent past, there has been little correlation between the performance of big businesses or elites and that of most people."

 

Fontes: The Rise and Fall of the G.D.P.; Redefining the Meaning of no. 1 e Ladrões de Bicicletas

 

 

 

tags: ,
publicado por CRG às 16:55 | link do post | comentar
Quinta-feira, 24.11.11

Ir à luta!

 

Quantas vezes os nossos desempregados terão ouvido esta frase? É preciso ir à luta, dizem com paternalismo, como se a culpa fosse deles, dos desempregados, que se portaram mal e agora sofrem o castigo, e, para a sua redenção, precisam de ir à luta. 

 

A ideia de justiça é uma noção reconfortante: se cumprirmos as regras, se trabalharmos bem e esforçadamente, seremos recompensados, não teremos problemas, o nosso mérito será reconhecido.

 

Surpresa, a vida não é justa, não existe uma relação causal newtoniana mas uma incerteza quântica, que, a qualquer altura, pode atingir qualquer pessoa: a deslocalização ou insolvência de uma empresa, a extinção do seu posto de trabalho... A dependência face a factores externos, incontroláveis; a admissão da nossa própria limitação perante o nosso futuro; a insegurança são pensamentos demasiado aflitivo, torna-se conveniente o refúgio que o sucesso está ao alcance de suor, sangue e lágrimas. 

 

A fria realidade é que 32,2% dos desempregados têm 45 ou mais anos, de acordo com os dados mais recentes do INE, . Assim, antes de exortarem à luta, perguntem quantas empresas encontram-se dispostas a admitir estas pessoas, "velhas" segundo as actuais tendências, para a luta como seus trabalhadores colaboradores.

publicado por CRG às 11:27 | link do post | comentar
Quinta-feira, 27.10.11

...uma raiva a nascer-te nos dentes

tags:
publicado por CRG às 21:59 | link do post | comentar
Terça-feira, 25.10.11

Porque sim

Não há criança/adolescente que nunca tenha ouvido um "porque sim". Esta frase irritante, que poderia adoptar diversas formas (ex: porque eu mando), marcava o fim de qualquer discussão, todos os argumentos esbarravam nesta intransigência do poder paternal.

 

No entanto, este poder é marcadamente autoritário, um despotismo iluminado e é conveniente que assim seja, pelo que uso regado deste instrumento não é so necessário como imprescindível para o bom funcionamento da família.

 

Sucede que se vive actualmente um período de "porque sim" na política. As medidas diariamente anunciadas revestem um manto de inevitabilidade, o que esvazia qualquer debate possível.

 

Ora, um sistema democrático saudável não pode proceder desta forma, descurando a argumentação ou partindo de uma conclusão falaciosa, que é a inexistência de alternativas.

 

Se numa primeira instância esta estratégia pode colher frutos, a médio e a longo prazo provocará uma erosão das bases da democracia, porque estará a excluir do debate público todos aqueles que discordam do caminho traçado. Estes olharão para o sistema como algo ineficaz a necessitar de uma profunda reparação pelo que o tentarão combater ou refundar externamente (ex: os movimentos a favor de uma democracia mais directa).  

tags:
publicado por CRG às 15:02 | link do post | comentar
Quarta-feira, 19.10.11

Reserva mental

Se a discussão política em Portugal é unanimamente apelidada como pobre, se existe uma visão redutora da classe política como sendo todos iguais, a verdade é que estes também não ajudam a desmistificar esta noção.

 

Um partido político que se candidata com um programa específico assente no corte de gorduras de estado, no fim a uma maior tributação da população e numa suposta verdade, conforme é visível neste pequeno vídeo, não pode, chegado ao poder, lançar todas estas promessas às urtigas.

 

Um partido político quando se candidata está a fazer uma espécie de contrato promessa com o eleitorado, que o escolhe no pressuposto de ver essas medidas implementadas. Sucede que ao ser celebrado esse contrato havia por parte do PSD reserva mental, porquanto reservava para si a intenção de não cumprir o acordado.

 

A democracia apenas poderá subsitir enquanto tal se aquilo que for sufragado corresponder às políticas que efectivamente são aplicadas, sob pena de se transformar numa lotaria, numa farsa. 

publicado por CRG às 13:06 | link do post | comentar
Terça-feira, 27.09.11

Na crista da onda

Numa altura de grave crise económica e social, desemprego e inflação elevada, e queda dos salários reais ouvir a Ministra do Ambiente afirmar que o preço da água vai aumentar para evitar desperdício só pode ser uma piada de muito mau gosto.

tags:
publicado por CRG às 23:26 | link do post | comentar
Terça-feira, 20.09.11

Conselho para Passos lidar com Jardim

tags:
publicado por CRG às 10:55 | link do post | comentar
Quinta-feira, 14.07.11

Todos no mesmo barco...

tags:
publicado por CRG às 11:15 | link do post | comentar
Segunda-feira, 27.06.11

The Night They Drove Old Europe Down

publicado por CRG às 23:03 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

posts recentes

últ. comentários

  • Ups, as minhas desculpas :)
  • sem leitores o tanas
  • só posso assinar por baixo do que escreveu!!! Beij...

arquivos

tags

links

subscrever feeds

blogs SAPO

Statcounter