Dia de Portugal: os discursos

Uma das vantagens de passar o feriado fora de casa é que me pude esquivar das celebrações do 10 de Junho (a única  suportável foi a que transformou os Xutos em Comendadores!) e respectivos discursos. 

 

O nosso mestre de cerimónias, o Billy Crystal do 10 de Junho, - que vai já na sua terceira vez - apontou as suas baterias à Constituição, que foi designada como sendo uma das responsáveis pelo nosso atraso.

 

Antes de proceder à defesa da honra da nossa Constituição um ponto prévio.

 

As críticas à constituição não são novas, nem recentes, porém espantam-me que estas venham de um sociólogo. Se há algo de intrinsecamente português é a atitude laxativa e pouco rigorosa perante as normas. Estas nunca são consideradas imperativas mas maleáveis, sendo alvo de adaptação por cada português para cada caso concreto, sendo racionalizada a razão de cada excepção: estacionamentos em segunda fila ("é por apenas alguns segundos") ou o uso generalizado de recibos verdes ilegais ("serve para facilitar a vida do trabalhador, ou melhor, colaborador") são apenas alguns dos diversos exemplos. Nem o Presidente da República escapa a este sentimento "pragmático" quando tenta acelerar a tomada de posse do Governo, ultrapassando, com isso, algumas normas da Constituição que jurou defender.

 

Mas adiante.

 

É unanimemente defendido que desde a Assembleia Constituinte que aquele hemiciclo não viu um conjunto de mentes tão capazes, inclusivamente tendo a participação do Dr. António Barreto. Então o que aconteceu? Afinal qual é o problema da Constituição?

 

Comecemos pelo artigo 1º que estatuí o seguinte: Portugal é uma República soberana, baseada na dignidade da pessoa humana e na vontade popular e empenhada na construção de uma sociedade livre, justa e solidária. De facto, isto é infelizmente "anacrónico, barroco e excessivamente programático", talvez o erro não esteja na Constituição mas sim no desvio que fizemos nos últimos quarenta anos, quando nos deixámos de empenhar na construção de uma sociedade livre, justa e solidária.

publicado por CRG às 15:11 | link do post | comentar