Presidenciais

Há uma clara contradição nas eleições em Portugal: nunca se vota para a eleição em si. Senão vejamos: para as europeias vota-se contra a actuação do Governo; para as legislativas vota-se no PM; para as autárquicas vota-se para reduzir a população prisional; no caso das presidenciais vota-se, quando possível, no PR em funções.

 

Sucede que, por força da constituição, nem sempre é possível votar no PR em funções. Nessas ocasiões escolhe-se para um órgão representativo alguém que se apresenta com ideias de governação: basicamente existe um desfasamento entre as aptidões apresentadas e o cargo, procura-se um porteiro e apresentam-se a votos supostos "governantes".

 

 

 

 

publicado por CRG às 11:10 | link do post | comentar