Crimes e Escapadelas

Um dos adágios moralistas mais conhecidos consiste em  "o crime não compensa".

 

No entanto, vou aproveitar este espaço para fornecer um conselho a todos os Irmãos Metralha por esse mundo fora: ao assaltarem uma casa, toquem à campainha e quando do interior perguntarem "Quem é?", respondam, muito sucintamente "Sou eu!".

 

Esta simples frase é o "Abre-te Sésamo" das pessoas honestas. Quem nunca respondeu desta forma ou abriu a porta com tal resposta?

 

Reflectindo, esta é uma resposta fortíssima. Este tom assertivo de quem afirma que é uma pessoa concreta, definida, sem qualquer dúvida identitária evidencia uma grande maturidade. "Sou eu!" tem uma enorme carga ontológica, contrapondo-se, por exemplo, à carga metafísica do "Ninguem!" de Garrett.

 

Voltando, porém, aos Irmãos Metralha receio que os seus problemas de identidade, como comprova o constante uso de máscaras, impossibilite esta estratégia.

 

Isso e o Tio Patinhas.

sinto-me: Cromo
música: I fought the law - The Crickets
publicado por CRG às 12:12 | link do post | comentar