Em Berlim, à espera que passe...

Desculpa o atraso. Talvez devesse pedir desculpa pelo conteúdo também... Lamento não ter fotos nem grandes histórias ou esperança. A inutilidade da minha existência em Berlim toma vida com estas palavras, através das quais os sentimentos e pensamentos inatingíveis se tornam verdades incontornáveis.

Não estou a fazer nada, não tenho vontade de fazer nada... Palpita-me que não vou fazer nada. São quase 3 os meses de vida em Berlim, sendo que destes, o último já não trouxe incertezas financeiras. E eu continuo sem aulas de Alemão, sem casa nova e sem projectos... Só ideias antigas de projectos de outros.

Berlim, ao contrário de Barcelona, não me traz independência e aventura. Talvez seja eu que tenha trazido para Berlim o facilitismo e comodismo português (?), não! O meu facilitismo e o meu comodismo. Em Berlim estou a repetir os erros do passado, em Berlim não estou a ousar, em Berlim estou a ser a inquietude que desprezo, em Berlim estou à espera que o tempo passe, à espera que o erro seja demasiado óbvio, seja insustentavelmente pesado para o continuar a ignorar. Em Berlim estou a deixar para trás a Sofia que já fui. Não sou Berlim, apenas estou em Berlim.
 

publicado por ainquietudedesofia às 20:07 | link do post | comentar