Estou velho! (mas não me dói nada)

Estava a ler na net que vai haver a sequela do filme "O código Da Vinci", desta feita inspirada no livro "Anjos e Demónios", e lembrei-me que já era altura de escrever neste blog. O que é uma coisa tem a ver com outra? Absolutamente nada, mas às vezes o nosso cérebro funciona assim. Mas antes de passar ao post propriamente dito só um pequeno apontamento sobre o Código. Ron Howard fez uma péssima adaptação do livro. Nunca esperei muito do Ron, mas este filme foi realmente mau. E agora vão dar mais dinheiro para fazer a sequela?! Ele há coisas...
No outro dia tive um jantar de primária e apercebi-me que tenho uma péssima memória. Não me lembrava de grande parte da turma, do Bruno da papelaria, dos apelidos das pessoas, das peças de teatro que fizemos, das aulas de música ou de educação física. Mas o Bruno da papelaria foi mesmo o que mais me chocou, pois a cada pessoa que chegava lá perguntavam: "Ah e o Bruno da papelaria, vem?" O jantar foi impecável e fiquei com pena de não ter seguido as vidas destas pessoas.
E de repente atingiu-me, qual raio qual quê, que estou a ficar velho. Pronto, exagero um pouco, ainda tenho direito ao cartão jovem, mas ver a turma da primária com empregos, alguns a trabalhar em Londres outros em Lisboa, é algo de assustador. Porque a visão que tenho deles será sempre de putos, e não de adultos responsáveis. Tratar o zézé de zézé agora parece-me ridículo, fazendo ao mesmo tempo todo o sentido. Ou seja, para mim, ele vai ser sempre o zézé, meu melhor amigo da primária. E o facto de vê-lo a querer ir trabalhar para Londres com a namorada fez-me aperceber que já temos todos uma certa idade. (Também senti o peso da idade pois o arroz de cabidela do jantar não me assentou lá muito bem. Dantes não tinha problemas desses.) Bem, se me sinto assim aos vinte e três anos, estou para ver como vai ser quando marcarmos estes jantares com quarenta e tal.
Também me assusta o facto de não me lembrar do Bruno da papelaria. Mas que raios! Vivia por cima da papelaria do pai e tudo... mas não... nada...


PS: o título deste post é referente ao Elixir da eterna juventude do Godinho. Ele diz "Estou velho, dói-me o joelho, dói-me a perna, dói-me o braço...". Senti-me na obrigação de o explicar pois achei que ninguém ia perceber.
tags:
publicado por JSP às 22:41 | link do post | comentar