Boas notícias para eles ;)

Na sequência de dois estudos publicados em Março no New England Journal of Medicine, a Sociedade Europeia de Urologia considerou que os dados são "insuficientes" para recomendar a adopção de um rastreio generalizado do cancro da próstata como medida de saúde pública. Os peritos invocam a possibilidade de um "sobrediagnóstico", que resulte em tratamentos "excessivos".

 

A associação não refere limites de idade (mínimos ou máximos) para o teste de rastreio (geralmente, a vigilância é iniciada aos 50 anos e deixa de ser benéfica a partir dos 70). Assim, a remete-se para o doente e para o médico a decisão individual de fazer o teste e, eventualmente, avançar para um tratamento. Sem convocatória geral à população.

publicado por ainquietudedesofia às 10:44 | link do post | comentar