I've got a cunning plan

No último episódio da quarta série do "Blackadder"- toda ela passada nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial - os generais ordenam um novo ataque de infantaria, uma marcha a pé contra a linha inimiga. Ciente que será um esforço em vão, Blackadder tenta sem resultado escapar alegando problemas mentais e acaba por morrer na terra de ninguém, porque, como ele diz, como é que alguém podia reparar noutro louco no meio de tanta loucura.

 

Lembrei-me deste episódio ao ver o comentário dominical de Marcelo Rebelo Sousa. Neste, o comentador louva a opção do PR de não requerer a fiscalização preventiva do OE porquanto a fiscalização sucessiva demorará até fins de Março. E, nessa altura, a Troika estaria de partida, pelo que não teria outra opção que não aceitar a correcção da meta do défice. Tanto mais, acrescenta MRS, que a meta do défice do OE é uma virtualidade, que ninguém acredita.

 

A loucura institucionalizada: ao mesmo tempo que se sabe que os esforços pedidos - cortes nas pensões e nos salários acima de € 600,00 - serão em vão e contraproducentes, defende-se a manutenção dessa medida por alguns meses de forma a manter as aparências, com claro menosprezo do sofrimento infligido.

 

Louco, tudo louco.

publicado por CRG às 12:54 | link do post | comentar