Exames, exames, exames

Segundo Samuel Johnson "Há dois tipos de conhecimento: sabemos sobre um assunto, ou sabemos onde podemos buscar informação sobre ele."


Actualmente, vive-se um tempo único: todo o conhecimento universal está à distância de um click. Acabaram as teimas intermináveis de noites regadas a álcool; não mais temos que viver com aquela sensação de ter um nome de um actor, filme ou música na ponta da língua.

 

Desde os tempos de Gutenberg que não existia um salto tão extraordinário na facilidade de aprendizagem. E, no entanto, o nosso sistema educativo não adoptou este novo "paradigma", continua agarrado à monocultura de exames. Esta obsessão transforma a educação numa exaustiva e redondante preparação para testes.

 

Presumo que seria diferente se Nuno Crato soube-se que mais importante do que os livros lidos são os que ainda não o foram. 

tags:
publicado por CRG às 12:41 | link do post | comentar