Custos afundados

Se partirmos do pressuposto benigno que a queda do PIB e o aumento exponencial da taxa de desemprego não era um objectivo consciente das políticas do governo e da troika a única explicação para a falta de alteração substancial dessas políticas reside na falácia dos custos afundados.

 

Esta descreve o fenómeno que se manifesta quando se verifica uma insistência numa decisão com base no investimento acumulado anterior, apesar de evidências sugerindo que esta decisão encontra-se errada, levando inclusivamente a uma "escalada de compromisso" (ex: corte de € 4 mil milhões).

 

Por sua vez, um dos requisitos fundamentais para a ocorrência desta falácia é a responsabilidade pessoal, ou seja, incorrem nesta falácia os que se sentem responsáveis pelos investimentos errados. E, impede que estes voluntariamente procedam a qualquer mudança.

 

Até quando?

tags:
publicado por CRG às 13:00 | link do post | comentar