Plan Bee

Existe em diversos políticos e economistas um fascínio por eusocialidades - o exemplo mais familiar deste tipo de organização social é o das formigas e abelhas - na qual cada elemento cumpre o seu papel eficientemente em prol do bem comum.

 

Apenas isso consegue explicar o menosprezo por tudo o que não seja produtivo no sentido mais economicista, que não seja possível contabilizar, catalogar; a redução do individuo a um sujeito econ, incapaz de errar, de fazer a escolha mais racional. E, quando isso não acontece, estes são olhados com desprezo, apelidados de ignorantes.

 

O que estes "supostos" liberais não percebem é que a liberdade engloba também o direito a errar. A liberdade de buscar a felicidade pressupõe a infelicidade como um resultado possível.

 

Ou, percebem, bem melhor do que eu julgo e procuram retirar a liberdade sob o manto da inevitabilidade, tornar os cidadãos menos livres, mais eficientes, para, segundo eles, alcançar o bem comum e o bem-estar dos próprios cidadãos.

 

publicado por CRG às 12:54 | link do post | comentar