Alea jacta est

Nos meus tempos de escola havia um jogo de cartas no qual um dos jogadores tomava a posição da banca, e sempre que havia um empate a vitória sorria a este, seguindo a frase "empate empate ganha o banqueiro". Eu não apreciava muito este jogo - a não ser que fosse o banqueiro - porque achava injusto esta primazia sobre os restantes jogadores.

 

Agora já crescido verifico que já não seria mau se o banqueiro apenas ganhasse quando fosse empate: entre 2008 e 2010 a zona euro entregou à banca 1,6 biliões de euros (a juros baixos), o que equivale a 18% do montante da "ajuda" a Portugal, Irlanda e Grécia (a juros bem mais elevados). Se pensarmos que parte desta "ajuda" teve como destino o resgate de alguns bancos e avales a outros verifica-se que existe um verdadeiro roubo. Uma transferência de recursos enormes para instituições financeiras sem quaisquer contrapartidas ou reformas importantes das suas actuações especulativas.

 

E não se vê o fim. No passado dia 27 o BCE reforçou o financiamento à Banca, que pode atingir os € 470 mil milhões a taxas de juros a rondar 1%. No fundo os actuais banqueiros são todos anarquistas - como descreveu Fernando Pessoa - livres, livres de todas as ficções sociais.

tags: ,
publicado por CRG às 12:59 | link do post | comentar